A artrite reumatóide é uma doença crônica e inflamatória que afeta as articulações. Trata-se de uma condição autoimune em que o seu próprio sistema imunológico ataca as células que revestem as juntas. A inflamação persistente nas articulações pode levar ao dano irreversível, causando grande limitação dos movimentos. O tratamento adequado e precoce é essencial para prevenir a ocorrência de deformidades articulares e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.
Hoje em dia, as pessoas com artrite tem mais probabilidade de receber um diagnóstico correto e mais rápido do que há décadas atrás, porém esse dado ainda é muito inferior ao ideal. O diagnóstico precoce depende de todos os profissionais de saúde trabalhando juntos, o que inclui médicos clínicos gerais ou médicos de família, reumatologistas, fisioterapeutas, ortopedistas e até mesmo os próprios pacientes.
Em muitos países, como no Brasil, os pacientes do sistema público precisam procurar assistência médica através do seu médico de família, que então deverão encaminhá-los para a especialidade correta. Trata-se de um processo bem difícil visto que os clínicos gerais avaliam muitos pacientes com uma ampla gama de sintomas músculo-esqueléticos, sendo complicado distinguir sintomas inflamatórios, e potencialmente graves, de sintomas degenerativos ou autolimitados. A ausência de testes diagnósticos para identificar a doença, como um exame de sangue específico, também aumenta o desafio. Outro grande problema enfrentado são as enormes filas e a demora para conseguir a avaliação de um especialista, fato que retarda ainda mais o processo. Para a pequena parcela da população que pode contar com a medicina privada, a espera pelo diagnostico tende a ser menor. Contudo, o desconhecimento da doença por parte da população e até mesmo dos médicos generalistas, pode atrasar o tratamento adequado.
Exemplos de rápido e bem-sucedido acesso às clínicas da família levam a um diagnostico precoce e parecem ter em comum a presença de um programa educativo de alta qualidade e relações fortes entre a atenção primária e cuidados secundários.O trabalho em conjunto do profissional de saúde com pacientes com dor nas juntas, é importante para tentar identifica-los o mais cedo possível para minimizar o dano articular e obter o melhor tratamento para eles. Na Irlanda,os fisioterapeutas também são bem colocados para realizar a triagem de pacientes com artrite inflamatória e eles são muitas vezes o primeiro contato dos pacientes com artrite. Os fisioterapeutas também observam que os pacientes ao longo de suas visitas, o que os torna ainda mais familiarizados com a evolução da doença.
O papel do paciente é também importante na promoção de um diagnóstico breve, pois é ele que deverá procurar rapidamente o médico. Isto pode ser conseguido através do aumento da informação do público em torno dos sinais e sintomas da artrite e da importância do diagnóstico precoce. No entanto, trata-se de uma medida mais teórica do que prática visto que há poucas medidas do governo em divulgar o impacto que a artrite reumatóide tem na vida das pessoas, com especial referência para a prevalência aumentada da depressão e ansiedade na artrite precoce.
Apesar dos progressos feitos para identificar e tratar pessoas com artrite inflamatória ainda existem muitas barreiras desde o diagnóstico até o tratamento em diferentes níveis de assistência ao paciente. É preciso trabalhar em conjunto para melhorar o atendimento e apoiar o diagnóstico e tratamento precoce da doença