Toda vez que eu menciono “Clube do Reumatismo” para qualquer pessoa, médico ou não, o interlocutor entende que seria um local ou evento de cunho social, onde os reumatologistas iriam para um congraçamento. Aí, eu paro, detalho todo o histórico do Clube, desde a época em que era realizado na Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, na Rua Mem de Sá, com a sua “Sede Náutica”, no botequim Vieira Souto, a Praça da Cruz Vermelha. E reflito, que já eramos Inovadores, pois frequentávamos a Lapa, antes dela ter se tornado o POINT turístico e cultural que é hoje. A SRRJ já era inovadora e lançava moda!. Tivemos excelentes momentos, alguns muito tristes, mas o Clube do Reumatismo sempre foi um momento de encontro para discutirmos as nossa dívidas, aprendermos com os colegas, em especial os residentes, que aprendem e ensinam, sem abrir mão de um jantar despojado ao final. Nossa fórmula deu tão certo, que outros diversos clubes se formaram em outros estados. E o nosso cresceu tanto, que teve que mudar de endereço para o atual Hotel Flórida.

Ainda me lembro de como ficava nervosa quando eu, residente, tinha que apresentar caso no Clube, e o prof Geraldo Castela (pai), acalmava-me e repassava o caso comigo. Numa época que tínhamos que fazer levantamento de bibliografia “a mão” na Biblioteca da Fiocruz e a fotocópia do artigo demorar ate 60 dias para chegar… Sem falar no medo que tinha do dr Mauro Goldfarb falar que tínhamos que trocar o “Filtro de ar” do ar condicionado do hoje finado Serviço de Reumatologia do Hospital Geral de Bonsucesso, pois cada caso de artrites infecciosas que apresentávamos… Bem, um deles, fez-me valer um exemplar original do Mc Arthy, autografado pelo próprio, no Congresso Mundial de Reumatologia realizado em 1989 no Rio de Janeiro, onde eu então R1 de reumatologia fui a única a acertar o diagnóstico de “Artrite por fungo negro” no quizz do Congresso… Graças ao caso que apresentei no Clube do Reumatismo…..

Pensando no impacto que isto teve na minha vida profissional, achei que deveria reproduzir este estímulo, e a SRRJ criou nesta gestão, o Prêmio para o Melhor Caso Clinico do Clube do Reumatismo, apresentado no Clube E publicado no Boletim da SRRJ.  Com o intuito de abrir os horizontes, o prêmio será um PACOTE COMPLETO PARA O ACR 2018, que será realizado em Chicago. Então, preparem-se, escolham o melhor caso, e concorram ao prêmio. A Comissão Científica, composta pelos Profs. Blanca Bica,Washington Bianchi, Carlos Augusto Andrade, Maria Cecilia Fonseca Salgado e Katia Lino, fará a escolha do caso premiado, com Voto de Minerva da Presidente.

Apesar do saudosismo, o Clube do Reumatismo também já se modernizou. Será transmitido ao vivo, em Live Web (Webinar), para aqueles que forem SOCIOS QUITES da SRRJ, e não puderem comparecer ao Hotel Florida, ou estão residindo fora da cidade do Rio de Janeiro. A exemplo do ocorrido já Jornada de posse no Hotel Portobello, o link ficará disponível depois pelo YOU TUBE. Mas não teremos Delivery do delicioso jantar da SEDE NÁUTICA.

Em nossa gestão, o Clube está sendo coordenado pelo Professor Haim Maleh, com o auxílio das dras. Nathalie David e Fernanda Paranhos, e o programa geral além do Pré Clube, promete deixar todos animadíssimos para participarem.

Os Clubes do Interior tem se fortalecido cada vez mais, e no dia 9 de março ocorreram os Clubes em Niterói, Volta Redonda e Campos, todos com participação expressiva dos colegas regionais.  E vamos multiplicar os Clubes pelo Estado do Rio de Janeiro, trazendo cada dia mais colegas da especialidade, residentes e até mesmo alunos de graduação, para que tenham a oportunidade de serem “picados pela Mosca Azul” da Reumatologia.

Espero vocês todos no Hotel Flórida, Dia 30 de março de 2017, às 18h00, para o Primeiro Clube da SRRJ, e logo após a Primeira Assembleia Geral Ordinária, com aprovação de novos sócios e Assuntos gerais.