A microcirculação é o sítio primário de várias anormalidades nas doenças reumatológicas, e a capilaroscopia é um método complementar extremamente útil para o diagnóstico e acompanhamento da esclerose sistêmica e na avaliação do fenômeno de Raynaud, já que pode identificar a associação com doenças sistêmicas, assim como acompanhar a sua progressão. Trata-se de um exame relativamente simples e de baixo custo, reprodutível e não invasivo. No entanto, variações relacionadas ao equipamento, definições e nomenclaturas, além da falta de consenso sobre quais parâmetros devem ser analisados são limitações para a sua utilização mais ampla.

Essa necessidade motivou as presentes recomendações, em que as principais indicações, os parâmetros técnicos adequados, a padronização da nomenclatura e a interpretação dos principais achados foram propostos baseados em revisão sistemática da literatura e experiência de experts.

 

Dra. Tatiana Mello, reumatologista da SRRJ, participou da elaboração desse trabalho, que se encontra disponível em https://advancesinrheumatology.biomedcentral.com/articles/10.1186/s42358-018-0046-4

 

Referência: Kayser et al. Advances in Rheumatology (2019) 59:5