O objetivo do tratamento da Artrite Reumatoide (AR) é atingir o controle, a remissão, ou pelo menos a menor atividade de doença possível, prevenindo a destruição articular e melhorando a qualidade de vida do paciente. Uma vez que tenhamos atingido este alvo terapêutico, tanto o Colégio Americano de Reumatologia (ACR), como a Liga Europeia Contra o Reumatismo (EULAR), recomendam a diminuição da dose das drogas antireumáticas modificadoras da doença (DMARD), sejam as biológicas (b) ou as sintéticas convencionais (sc). Partindo deste pressuposto, este estudo teve como objetivo investigar os efeitos da redução da dose de Baricitinibe 4mg uma vez ao dia, um bDMARD, em pacientes com AR que atingiram o controle da doença.

Os pacientes que completaram um estudo de Baricitinibe, fase III, poderiam entrar em uma extensão. Nesta extensão, os pacientes que receberam Baricitinibe 4mg por 15 meses e mantiveram CDAI com baixa atividade de doença, ou remissão, foram cegamente randomizados para manter os 4mg ou reduzir para 2mg. Caso fosse necessário, os pacientes retornavam para 4mg e a avaliação da eficácia e segurança foi feita após 48 semanas.

Em ambos os grupos, durante as 48 semanas, os pacientes mantiveram baixa atividade de doença (80% 4mg e 67% 2mg) ou remissão (40% 4mg e 33% 2mg). No entanto, a redução da dose ocasionou pequenos aumentos na atividade de doença, com significância estatística, em 12, 24 e 48 semanas. A redução da dose também produziu recidiva mais precoce e mais frequente ao longo das 48 semanas, quando comparado com a manutenção dos 4mg. As taxas de resgate foram de 10% para Baricitinibe 4mg e 18% para Baricitinibe 2mg. A redução da dose foi acompanhada de uma queda de infecções não graves (30,6 para Baricitinibe 4mg e 24,9 para 2mg). Os casos de eventos adversos graves e eventos adversos que levaram à descontinuação foram semelhantes entre os grupos.

Os autores concluíram que os pacientes com AR para os quais o controle clínico da doença foi induzido com Baricitinibe 4mg uma vez ao dia, a dose de Baricitinibe 2mg resultou em aumento da atividade de doença em alguns pacientes. Também foi observado uma ligeira redução da taxa de eventos adversos nos pacientes com dose mais baixa quando comparado com os pacientes que mantiveram a dose de 4mg por dia.

Referência: Takeuchi T, et al. Ann Rheum Dis 2019; 78:171-178.

Autor: Carlos P. Capistrano
Reumatologista da SRRJ